2ª Guerra Mundial
Home Up

 

Auschwitz
Birkenau
Conclusão

 VISITA AO CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DE AUSCHWITZ

  A visita começa ao campo de concentração de Auschwitz e, a cada facto horrível que nos era contado ou a cada imagem que nos era mostrada, fazíamos uma cara aterrada. A guia, uma polaca, por seu turno com uma expressão orgulhosa de quem pertence a um povo que tantas vezes foi sacrificado e martirizado e conseguiu resistir, lembrava-nos sempre que este campo não era dos piores e que guardássemos o espanto para Birkenau (o seguinte a visitar).


  1 - Portão de entrada para Auschwitz. As inscrições colocadas na parte superior do portão, significam, em alemão «O TRABALHO FAZ A LIBERDADE», o que não deixa de ser verdade: as pessoas efectivamente morriam de excesso de trabalho e nessa perspectiva libertavam-se do sofrimento imposto, em forma de fumo, uma vez cremadas.


  2 - Este edifício tem a particularidade de ter as janelas completamente tapadas por painéis de madeira. Trata-se do bloco onde eram levadas a cabo as experiências médicas de que temos conhecimento, nomeadamente: inseminações, vários tipos de experiências com gémeos, etc. com vista ao apuramento de uma raça pura. As janelas estavam devidamente tapadas, por forma a que de fora ninguém pudesse desconfiar do que se passava no interior. Era ainda um modo de isolar e abafar, em parte, os gritos de horror que de lá saíam.


  3 - Edifício onde a GESTAPO fazia os interrogatórios, nomeadamente para saber se os prisioneiros tinham conhecimento de mais famílias, dos seus locais de origem e que supostamente deveriam estar nos campos. Era o bloco das torturas, onde os prisioneiros que desobedecessem às regras eram castigados.
  Foi igualmente neste bloco que se fizeram as primeiras experiências de gaseamento em massa.
  Os nazis experimentaram ainda outro tipo de morte: por asfixia. Seria o método mais "simples", pois bastava vedar devidamente as minúsculas celas onde encerravam os prisioneiros: a falta de renovação do ar fazia o resto.


  4 - Pátio de fuzilamento entre o bloco das experiências médicas (à esquerda) e o das torturas (à direita). No fim do bloco das torturas existia uma porta, por onde as vítimas saíam, completamente nuas, directamente para este pátio. Os homens eram encarcerados na metade do edifício mais próxima da porta e as mulheres ficavam na extremidade oposta, por forma a que, ao serem conduzidas nuas para a porta da morte, tivessem que passar no sector masculino, aumentando deste modo a sua humilhação.


  5 - Pormenor de um local de castigo com cerca de 1 m², no bloco da Gestapo. Aqui eram encarcerados durante uma noite quatro prisioneiros que tivessem violado as regras. O «crime» mais comum era o de tentar roubar a comida dos dentes do outro. Dada a exiguidade do espaço, os prisioneiros tinham que dormir de pé, pelo que no dia seguinte não tinham forças para trabalhar e eram, então, violentamente agredidos e espancados pelos guardas.


  6 - Beliches de camaratas de prisioneiros em Auschwitz, onde se pode ainda ver algo com semelhanças a um colchão.


  7 - Formas de acomodação em Auschwitz.


  8 - Chaminé do único centro de fornos crematórios existente em Auschwitz. Os fornos são sempre subterrâneos e as chaminés localizadas nas áreas limítrofes dos campos de concentração, rodeadas de árvores para dissimular o fumo. O que os Nazis não conseguiam totalmente disfarçar era o cheiro adocicado e enjoativo proveniente da cremação intensiva dos corpos humanos, que se propagava pelos campos de concentração e pelas regiões adjacentes.


  9 - Fornos crematórios em Auschwitz. Hoje, na Polónia, nestes e noutros locais de antigos martírios, é frequente verem-se os mesmos cobertos de flores e velas, em homenagem às vítimas.


  10 - Esta é a forca onde morreu, a olhar para o monstro que dirigiu, o último homem (cérebro maquiavélico) que comandou o campo de concentração de Auschwitz e concebeu todos os estratagemas para atrair as vítimas e as formas mais eficazes de reciclar todos os seus bens. Esta forca está estrategicamente colocada fora do campo, voltada para este e ao lado dos fornos crematórios.


  11 - Aspecto geral do campo de concentração de Auschwitz.