Renascença Portuguesa

A república, em Portugal, é proclamada em 1910 e, com isso sempre surgem aqueles que são a favor e aqueles que são contra. Aqueles que estavam a favor da República tentavam-lhe dar uma doutrina e uma literatura e, a estes, acabou se chamar o movimento da Renascença Portuguesa. Esta foi uma sociedade literária fundada no Porto por Jaime Cortesão, Álvaro Pinto, Teixeira de Pascoaes e Leonardo Coimbra. Por detrás da Renascença Portuguesa esteve a chamada “nova filosofia” que se caracterizava por dois elementos fundamentais:

1. A vida era vista como um movimento constante e, como tal, as transformações não podiam ser limitadas por qualquer tipo de preconceito. A verdade é que tudo podia acontecer já que o mundo era energia. Assim, venceriam as fórmulas que mais conseguissem mobilizar essa energia.

2. Essa transformação do mundo devia começar por uma crítica a todo o tipo de preconceitos, valorizando o papel dos intelectuais porque estes tinham como objectivo transformar os pensamentos em acções.

 

Esteticamente, a Renascença Portuguesa caracteriza-se por:

1. Uma espécie de neo-romantismo – eram intuitivos, expansivos e retóricos.

2. Temas históricos ou populares

3. Visão mística e animista da natureza

4. Transfiguração da natureza

5. Bucolismo, folclorismo, sentimentalismo

6. Saudosismo

Voltar