Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro

(20.7.1867 - 8.9.1920)

A sua arte seguiu os mesmos trilhos que o seu pai, quer na caricatura quer na cerâmica, tendo obtido vários prémios como ceramista, cartoonista e desenhador de cartazes. A despeito das suas magníficas qualidades como caricaturista, confirmadas nas páginas de "A Paródia", "O António Maria" e na revista quinzenal O Gafanhoto (1º herói dos "comics" infantis portugueses), Manuel sentiu que o seu futuro estava na olaria e, assim, dedicava todo o seu entusiasmo à Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha.

Foi presidente do Grupo de Humoristas Portugueses e professor na Escola Industrial Rodrigues Sampaio e na Escola Industrial Fonseca Benevides.

[ CITI ]