O estilo

A ironia é a pedra basilar de todo o discurso e de toda a estilística Vilhena. Tudo é segundo sentido e conotação. Ler um texto de Vilhena sem este prisma implica considerar aquelas palavras como uma apologia da degradação humana, da hipocrisia, da ganância primária, do abuso de poder, etc. É este segundo sentido a base do humor.

As influências que ajudaram a criar o estilo Vilhena são variadas:

Desenho: revista MAD; Guido Crepax (Valentina), André Brun, revista "La Codorniz".

Texto: Alphonse Allais, Alvaro de Laiglesia, Guy de Maupassant, Jonathan Swift, Mark Twain, Goscinny, Ruellon, Gogol (autores que foram traduzidos ou introduzidos em Portugal por Vilhena)

[ CITI ]