Temas

Os livros têm quase todos uma estrutura narrativa similar. Há uma grande homogeneidade temática e de argumento, provavelmente causada pelo elevado ritmo de produção. Trata-se de uma série periódica, o que implica uma certa repetição e redundância. O humor tem origem num processo de renovação, mais do que de inovação.

A história compreende uma anedota central que pode ser reduzida em poucas frases.

O modelo da temática é o do romance picaresco dos séculos XVII e XVIII. Os temas de Vilhena são: Interesses Materiais, Viagem e Errância, Aparência e Ilusão, Necessidade e Fome, Ficção Autobiográfica, Paródia.

Interesse material:

As motivações das personagens são quase sempre as mesmas: sexo e dinheiro. Ganância sexual e ganância monetária disputam a primazia nos interesses dos actores. Sexo e dinheiro são as duas faces da mesma moeda: se o dinheiro é o caminho do homem para o sexo, este é o caminho da mulher para o dinheiro.

Viagem e errância:

Da província para a capital, para Madrid ou o Norte de África, dentro da mesma cidade, as personagens estão frequentemente em movimento e em viagem. Porém, os seus planos saem sempre frustrados e a viagem quase nunca atinge o seu objectivo. Os transportes desviam-se e não chegam ao destino, ou então, o paraíso procurado revela-se pior do que os infernos de que se fugia.

Aparência e Ilusão:

Todas as suas personagens fazem por parecer aquilo que não são. É neste ponto que a crítica social de Vilhena é mais acutilante e denuncia hipocrisias e injustiças. São sobretudo os detentores do poder económico e político que são visados desta forma. A falsidade e a imoralidade dos ricos, do clero e das classes dominantes revela-se nestas histórias, com a contradição entre palavras e actos, ou com contradições internas aos próprios discursos.

Necessidade/Fome:

Muitas personagens não têm "onde cair mortas". São de origem humilde e sem nenhuma perspectiva de futuro. Para as personagens femininas, a prostituição surge frequentemente como a única alternativa à miséria.

Ficção autobiográfica:

A "personagem Vilhena" aparece em muitas das obras, especialmente nas introduções e prefácios ou em notas de rodapé. Conta assim episódios da sua vida, intervém na sequência das acções, esclarece malentendidos, logros e injustiças. Estas aparições esporádicas contribuem grandemente para a criação da imagem de marca do autor, que desenhou assim o seu próprio personagem ficcionado

Paródia:

Uma das actividades que Vilhena realiza com mais sucesso é a paródia a outras obras. Assim, temos:

·Paródias a manuais: "Manual de Etiqueta", "Tenha Maneiras"

·Paródias a clássicos: "Julieta das Minhocas"

·Paródias de temas contemporâneos: "Love Story" (paródia ao filme homónimo), Coscuvilhices (sobre o livro de Vera Lagoa, "Bisbilhotices");

·"Se bem me lembro" (sobre o programa televisivo de Vitorino Nemésio).

[ CITI ]