Dadaísmo

Corrente, também sobreposta ao Modernismo, que pretende suprimir qualquer relação entre pensamento e expressão. Almada assume, visivelmente, um dadaísmo nacional em "10 Poemas Portugueses", "Rondel do Além Tejo" (1922), "A Invenção do Dia Claro" (1921), "O Menino d'Olhos de Gigante" ("Contemporânea", nº 3, 1922), "A Engomadeira" (1917) e "Nome de Guerra" (1938).

[ CITI ]