Non ou a Vã Glória de Mandar - Non ou la Vaine Gloire de Commander - 1990

Baseado na história de Portugal, Non ou a Vã Glória de Mandar, recorda as batalhas travadas pelos portugueses desde o tempo de D. Afonso Henriques até à guerra colonial.

Há quem considere o filme demasiadamente filosófico, por causa das lições do Alferes Cabrita e as perguntas e comentários dos furrieis, dos cabos e dos soldados. Há quem interprete as mesmas palavras como sendo história de Portugal, o facto é que Oliveira desfaz estes mitos no final.

O filme é mais uma reflexão sobre a História de Portugal, do que propriamente história. É uma forma particular de ver alguns acontecimentos que mais marcaram Potugal, ligando a Batalha de Alcácer Quibir ao 25 de Abril. Na primeira morremos e na segunda morreu o Alferes Cabrita.

Non, ou a Vã Glória de Mandar recorre a magestosos cenários de batalha, com a reconstituição da batalha de Alcácer Quibir. Para além do enorme número de guerreiros a cavalo em cena há uma grande diversidade de adereços da época que cada soldado exibe. Uma outra cena idêntica mas como é óbvio com uma outra dimensão é a guerra colonial em África.

« é a glória de mandar. É a glória de mandar - essa de que paradoxalmente D. Sebastião se despede em Alcácer Quibir - é a glória que o narrador se propõe e cuja vanidade a cada momento Oliveira sublinha, destroçando a narrativa, através da singularissima "decoupage" de um dos seus filmes mais fragmentados. Só que o narrador é ele também uma personagem fragmentada e os seus três grandes fragmentos (como Viriato, como Ninguèm e como Alferes Cabrita) viveram dessa glória e para essa glória até descobrirem, nas chamas, nos destroços e no sangue, como essa glória era igualmente vã».*

* João Bénard da Costa - Ficha da Cinemateca Portuguesa, 8 de Março de 1991.


Ficha Técnica

35 mmc3000mt 110mn

Realização: Manoel de Oliveira

Produção: Madragoa Filmes; Tornasol Films (Espanha), Gemini Films, SGGC Films (França)

Notas: Orçamento Divulgado: 750 000 contos

As Realização: Jaime Silva, Jacques Arhex, Manuel João Aguas, João Cayatte

As Cena: Carlos Alberto Santos, Joao Zanatti, Luís Queirós

Argumento: Manoel de Oliveira

Conselheiro: Aurélio de Oliveira

Texto: (Histórico) João Marques

Consultores: Miguel Faria, Luís A. Oliveira

Diálogos: Manoel de Oliveira

Fotografia: Elso Roque

Op Imagem: Octávio Espírito Santo

As Imagem: Loreta Roque, Vítor Nunes

Perche: Paulo Cerveira, Yves Grasso

Iluminação: (Maquinistas) Vasco Sequeira, Pedro Blanco

Escultor: Nuno Theias

Electricistas: Mário Castanheira, Alberto Fosco, Manuel Lobao, J. M. Rodrigues

Decoração: Luís Monteiro, Maria José Branco

Mestre de Armas: Miguel Baena

Cenários: (Adereços) Luís Monteiro, Luís Grilo, Jeanine Waltz, José Barbieri

Vestuário: Isabel Branco; Peris Hermanos

Chefe Costureira: Lurdes Rocha

Cabeleireiro: Dominique Buisson, Sandrine Coraux, Cristina Mendes

Fot de Cena: (Reportagem) Rodrigo Dias, Rui Ochoa

Anotação: Júlia Buísel, Teresa Garcia

Cenérico: Les Films Michel François

Direc de Som: Gita Cerveira

Ruídos: J. P. Lelong, Mário Belchior, Eric Ferret

Sonoplastia/Mist: JeanPaul Loublier

Música: Alejandro Masso

Canções por: (Dione) Teresa Salgueiro

Montagem: Manoel de Oliveira, Sabine Franel

As Montagem: Nicole Cohen, Valerie Bregaint, Brigitte LeMercier, Luís Amaro

Exteriores: Portugal, Espanha, Senegal

Data Rodagem: Set 1989/Jan 1990

Lab Imagem: Tobis Portuguesa, LTC (França) Câmaras, Material: Lisboa Filmes

Reg Som: Aura Films

Auditório: Philippe Sarde

Produção Ex: Paulo Branco

Prod Assoc: JeanBernard Fetoux, Gerardo Herrero

Direc Produção: Xavier Decraene, Alexandre Barradas, Graça de Almeida

As Produção: Marisa Muñoz, Jaime Campos

Chefe Prod: Camilo João/Tuxa

Sec Produção: Lígia Noémia, Teresa Figueiredo

Contabilista: Fernanda Costa

Patrocínio Radiotelevisão Portuguesa/RTP, Radiotelevisión Espanola/RTVE

Distribuição: Madragoa Filmes

Antestreia: Fundação Calouste Gulbenkian

Data Antestreia: 12 Out 1990

Estreia: ForumPicoas, King, 7.a Arte

Data Estreia: 12 Out 1990

Intérpretes/Personagens: Luis Miguel Cintra (Alferes Cabrita, Viriato, D. João de Portugal), Diogo Dória (Furriel Manuel, Guerreiro Lusitano, Primo de D. João de Portugal), Luís Lucas (Cabo Brito, Guerreiro Lusitano, Nobre de Alcácer), Miguel Guilherme (Soldado Salvador, Soldado Lusitano, Soldado de Alcácer), António Sequeira Lopes (Furriel, Guerreiro Lusitano, Guerreiro de Alcácer), Carlos Gomes (Soldado Pedro, Soldado de Alcácer), Mateus Lorena (D. Sebastião), Lola Forner (Princesa D. Isabel), Raul Fraire (D. Afonso), Rui de Carvalho (Pregador do Sermao nas Exéquias de D. Afolso, Cavaleiro Tresloucado), Teresa Meneses (Dione Leonor Silveira (Tethys), Paulo Matos (Radiotelegrafista, Vasco da Gama), Francisco Baião (Príncipe D. Joao), Luís Mascarenhas (D. Afonso V Duarte de Almeida/Joao Bénard da Costa (Barão de Alvito), José Ramos (Frei Fernando), Joaquil Cachepe (Médico), António Lupi, André Gago, Pepe Ruiz, Angel Gomez, Salvador Martos, Mateus Cardoso, Altino Almeida, Jaime Silva. Voz Off Final: Manoel de Oliveira.

[ CITI ]