O Pintor e a Cidade - 1956

Depois de ter estudado a cor num estágio que foi fazer à Alemanha, em 1955, compra uma máquina de filmar e, no regresso ao Porto, inicia a rodagem de O Pintor e a cidade, que realiza sozinho. Ele mesmo é que filma e suporta os custos.

O Pintor e a Cidade é tudo menos um documentário sobre o Porto, mas uma deambulação pela cidade através do olhar do pintor. Um olhar atento à cor, que é trabalhada de uma forma estupenda, a banda sonora sem efeitos especiais, mas muito bem enquadrada no movimento de cores e imagens do filme.Por vezes a câmara neutraliza a cor com planos escuros, como acontece na descida ao bairro do Barredo, expondo o princípio da formação da cor, com a ascensão da câmara ao céu, à luz. O filme procura as fachadas modernas dos prédios, com o contraste das velhas fachadas da cidade que são rasgadas pelo passar da câmara, numa evocação saudosista do passado. A entrada dos operários nas fábricas, vindos das periferias, enfim, uma cidade que desperta para a labuta e adormece com o silêncio da noite.

No Festival de Cork (Festival Internacional da Curta Metragem), o documentarista britânico Basil Wright, presidente do júri, ao anunciar a atribuição de um prémio ao Pintor e a Cidade proferiu: «o filme português "O Pintor e a Cidade" foi o filme mais interessante apresentado neste festival. É uma obra cheia de originalidade, de imaginação, com magníficos exemplos de fotografia a cores, enquadramentos invulgares e uma montagem curiosa. A única razão porque não lhe atribuímos o primeiro prémio - não obstante o seu indiscutível mérito- foi por não ter conseguido, em nossa opinião, tornar bem claras algumas das ideias que procura exprimir».


Ficha Técnica

35 mm c 800 mt 28 mn

Realização: Manoel de Oliveira

Produção: Manoel de Oliveira

As Realização: António Lopes Fernandes

Planif/Seq: Manoel de Oliveira

Fotografia: Manoel de Oliveira

Direc de Som: Alfredo Pimentel, Joaquim Amaral

Sonoplastia/Mist: Heliodoro Pires

Música: Luís Rodrigues

Motivos Tradicionais: Rebelo Bonito

Improvisações ao Orgão: Ino Sanvini

Canções por: Orfeão do Porto (Direcção: Vírgilio Pereira), Madrigalistas

Montagem: Manoel de Oliveira

Exteriores: Porto

Lab Imagem: Tobis Portuguesa

Distribuição: Doperfilme

Antestreia: São Luiz

Data Antestreia: 26 Nov. 1956

Estreia: Sao Luiz, Alvalade

Data Estreia: 27 Nov 1956

Intérprete: António Cruz

[ CITI ]