Eça de Queiróz

Nascido na Póvoa de Varzim, em 25 de Novembro de 1845, José Maria de Eça de Queiróz estudou Direito em Coimbra, onde conviveu com o "líder" incontestado da Geração de 70, o poeta-filósofo Antero de Quental, a quem chamava "Santo Antero" e de quem se considerou discípulo. Com ele participou nas conferências do Casino Lisbonense, onde expôs a sua teoria sobre o realismo (muito próxima da concepção de arte de Zola).

Dedicando-se à carreira de diplomata em Cuba (Havana), Inglaterra (Newcastle e Bristol) e França (Paris), viria a falecer na sua casa de Neuilly, na capital francesa, a 16 de Agosto de 1900. A vida longe da terra-pátria e a experiência vivencial marcada pelo cosmopolitismo levaram-no a perspectivar de forma irónica, embora saudosista, a sociedade do seu Portugal.

Em muitas das obras, e de forma particular n'Os Maias, é a sociedade portuguesa que Eça analisa de forma cómico-trágica, sem perder de vista o propósito ético da literatura. E torna-se, assim, no grande renovador do romance português ao estruturar de forma nova a análise sociopolítica, cultural, psicológica e sentimental, ou as personagens e a linguagem.

In, MOREIRA, Vasco; PIMENTA, Hilário, Encontro Literário, Porto, Porto Editora, 1994, 297p.

[ CITI ]