Enquadramento geracional

"Se, geracionalmente, ele se situa entre a geração presencista e a neo-realista, não podemos deixar de reconhecer que na sua obra outras experiências literárias, como as do surrealismo e as da segunda geração neo-realista. Mas tais incidências, que se podem detectar, encontram-se esbatidas se estivermos mais atentos ao que há de particularmente original nos seus poemas. A sua imaginística, que muito vai buscar ao mundo da ciência—nomeadamente através da utilização de um vocabulário que lhe é próprio—torna-se extremamente original, por vezes insólita, embora encontre o apoio seguro de um ritmo bem escondido (daí a utilização, sobretudo nos livros iniciais,da métrica tradicional em muitos dos seus poemas) e de uma figuração muito inventiva, a que a ironia dá um acento especial."

MACHADO, Álvaro Manuel, Dicionário de Literatura Portuguesa, 1ª edição, Lisboa, Editorial Presença, Setembro, 1996.

[ CITI ]