Marques da Costa

"Pois foi,(…) há 51 anos que a nossa turma conheceu o dr. Rómulo de Carvalho. Em Outubro de 1945, iríamos ter um professor, um mestre que, no processo de comunicação com os seus alunos, apontava o fascínio que o impacte da Ciência e da tecnologia têm sobre a vida quotidiana de todos, e nos fazia sentir como a relação entre a Ciência e a Sociedade são tão importantes. As mutações e as inovações da Ciência, descritas por ele, despertavam em nós um entusiasmo de adolescentes que iniciavam a aprendizagem de uma nova disciplina liceal, as Ciências Físico-Naturais, como na altura se designava.

Rómulo de Carvalho confrontava-nos com as situações e problemas novos da Ciência, fazendo a sua difusão e interessando-nos pela leitura de livros que tivessem a ver com a história e a divulgação da Ciência. A exigência de grande rigor, na exposição e na experimentação nas suas aulas, era um atributo desse professor que marcou, vincadamente, a nossa passagem pelo Liceu de Camões.

(…) O entusiasmo que punha ao falar dos autores/actores das descobertas ou da aventura do Homem como resultado da evolução científica, (…) era uma faceta do ensino do nosso Mestre que, talvez, só anos mais tarde seria apreciada por nós em toda a sua dimensão.

(…) Rómulo de Carvalho usava toda a sua dimensão educativa. No domínio das ciências humanas, interessava-nos pela Cultura e pela Arte. No ensino, propriamente dito, das matérias da disciplina, mostrava-nos até como podíamos encontrar a Ciência nos objectos do nosso quotidiano. Na difusão de conhecimento, procurava chamar a nossa atenção de como a Ciência marcava o contexto social…

Recorde-se, finalmente, que, a Ciência, com a observação e a experimentação, procura o conhecimento objectivo do mundo, mas como deve zelar pela dignidade do Homem, os cientistas e os humanistas podem e devem estabelecer pontes apropriadas para o bem comum. E esta era, em certa medida, uma das linhas de orientação que desde muito jovens o dr. Rómulo de Carvalho inculcou em nós…

Seja-nos, ainda, permitido (…) agradecer ao doutor Rómulo de Carvalho tudo o que conseguiu fazer por nós. Motivar e interessar para a Ciência, mas, simultaneamente, mostrar e evidenciar que as Humanidades e as Ciências constituem um todo e que só ele permite que

o homem sonhe

e o mundo pule e avance…"

Marques da Costa*

*O autor é professor, jubilado, e coordenou a homenagem a R.C. dos seus ex-alunos do Pedro Nunes

MARQUES DA COSTA, Artur, in Jornal de Letras, Ano XVI, nº 680, 6 a 19 de Novembro, 1996

[ CITI ]