António Gedeão e a crítica ao Regime

"… As literaturas clássicas projectam em geral imagens de rígidas sociedades de classes, nelas sendo as personagens apresentadas de forma unificada , coerente e muito hierarquizada. Ora António Gedeão, procurando reproduzir imagens de penúria e de injustiça no baço Portugal do salazarismo, rompe formalmente com a própria linguaguem segregada pelos ditadores da classe no poder, ou mesmo com a difusão, ainda que inaparente, da sua ideologia.

António Gedeão não compadece apenas os homens e mulheres que são sujeitos e objectos do sofrimento e do desprezo social, substitui-se-lhes; e essas criaturas deixam de ser apenas olhadas com comiseração para serm investidas de uma dignidade human, histórica e cósmica, consideradas não só na pequenez a que a ditadura fascista a reduziu, mas na perfeita igualdade da sua origem biológica e na eventual grandeza do seu destino terrestre."

Urbano Tavares Rodrigues

In Jornal de Letras, Decifrados do mundo , Alquimista do sonho,26 de Fevereiro de 1997

[ CITI ]