Escritores e Críticos Literários Portugueses e Estrangeiros

"He is problably the most popular of the modern poets" (Raymond Sayers - "Portuguese Poetry of Today and Eugénio de Andrade")

(...)"A sua poesia é a preferida pelos presos políticos, pois é a mais radiosa. Escuridão, já têm eles que chegue."(Óscar Lopes)

"Eugénio de Andrade não é um mero poeta ou um literato. Tornou-se numa marca da cultura viva."

"Depois de Fernando Pessoa, Eugénio de Andrade é o maior poeta português de presente século"

"Andrade é o exemplo de uma vida dedicada à escrita."(Raymond Sayers)

(...) "A poesia de Eugénio de Andrade retrata perfeitamente esta época que vivemos, anunciando também um futuro bem diferente da nossa realidade." (M. Lígia Martha Aiello - "A Poesia de Eugénio de Andrade em Tempo de Metamorfose" - tese de doutoramento. Bauru, S.Paulo, 1977.)

"Foi uma grata emoção estética, a do reencontro de sua poesia, nesse belo livro que reúne tantas páginas memoráveis e atesta bem o alto sentido da sua caminhada entre os seres e as coisas. Reli versos que me haviam tocado muito, e pude avaliar-lhes ainda mais a substância de beleza e humanidade. Guardarei com carinho essa terceira edição de "Poemas" como testemunho de um grande poeta que enriqueceu o nosso património comum de literatura viva." (Carlos Drummond de Andrade - Carta a Eugénio de Andrade, 7 de Novembro de 1971.)

"Es fácil caer en el error de enfocar la poesía de E. de Andrade desde el punto de vista de la poesía española y pretender hacer de éste un poeta español como la última crítica viene haciendo. Temática y estilísticamente la poesía de Eugénio de Andrade se aleja bastante de la nuestra Generación del 27. (…) A posteriori se pueden ver influencias, incluso inconscientes, pero eso no es norma a priori en ningún artista que se precie." (José Luna Borge - "La obra poética de Eugénio de Andrade" in "Insula", nº484. Madrid, Março de 1987.)

"Eugénio de Andrade è un isolato per exccellenza; alieno ad ogni inquadramento in gruppi o scuole egli segue, nelle mutevoli vicende della moderna poesia portoghese, una sua via ben distinta che molti hanno imitato e nessuno eguaglitato.La sua opera è il fruto di una continua, estenuante, armonizzazione di dicotomie." (Carlo Vttorio Cattaneo - "Ostinato Rigore" -"Intoduzione". Roma, Edizioni Abete, 1975.)

"Le plus bel exemple d'une poésie sans discours, sans événement, sans complaisance ni nostalgie. Une poésie de la vie immédiate: la lumière, la chaleur de l'été, la permanence du feu, "Le filet d'eau, le matin de verre". Une transparence éblouissante, ne cachant pas que "l'amour jamais ne fut facile", là où, pourtant, "nous dormirons nus à l'intérieur des fruits". (Claude Michel Cluny - "Eugénio de Andrade" in "Lire", nº136. Paris, Janeiro de 1987.

[ CITI ]