O Dominó Preto

Organizado por Florbela em 1927, que tencionava publicá-lo em Outubro do ano seguinte, «O Dominó Preto» inclui vários contos escritos por Florbela nesta altura, em que se sentia menos virada para a poesia, e enquanto se dedicava a traduções de romances franceses, dadas as fracas condições económicas. Mostra-se um livro mais ligeiro e menos imbuído do tom funesto e soturno que Florbela imprimirá ao seu livro de contos seguinte, «As Máscaras do Destino». No entanto, devido às partilhas dos direitos de autor, o livro só seria publicado em 1982, passados cinquenta anos sobre o desaparecimento da poetisa. Fazem parte de «O Dominó Preto» os seguintes contos:

«Mulher de Perdição»

«À Margem dum Soneto»

«O Dominó Preto»

«Amor de Outrora» (um conto com traços autobiográficos, pois é a história de uma mulher que consulta o médico e encontra um antigo amor da província, parecendo Florbela quando se apaixonou por Mário Lage, seu médico)

«O Crime do Pinhal Cego»

«O Regresso do Filho»

No verso da última página do conto «Mulher de Perdição», Florbela hesita na vontade de publicar esta obra, e escreve, sem pretensões: Primeiros ensaios (coisas para aproveitar) ou antes, para não aproveitar… Tolices! Curiosamente, o manuscrito não tem data, nem assinatura, que Florbela colocava no fim de todos os contos, incluindo os de «O Dominó Preto».

[ CITI ]