Carlos Queirós

Poeta português, José Carlos Nunes Ribeiro nasceu em Lisboa em 1907. Convivente de alguns dos fundadores de "Orfeu", seria, no entanto, a estética presencista que marcaria os seus primeiros poemas. Apesar das nítidas influências da revista conimbrense, sobretudo de Régio, libertar-se-ia delas ao longo de um percurso de autor que, em vida foi exíguo do ponto de vista da publicação em vol. ("Desaparecido", que desde logo confirmou o poeta lúcido, rigoroso e límpido, que em revistas literárias se revelara: Revista de Portugal, Atlântico, Litoral, entre outras) e que logrou um discreto mas seguro prestígio entre a geração e a que imediatamente se lhe seguiu. Após a sua morte (em Paris, em 1949) surgiu "Poesia Completa", com inéditos extremamente significaticos não só das constantes interiores da sua poesia, mas também da evolução e depuração dos seus processos literários em que se associavam ao classicismo um sentido intelectual de modernidade e ao pendor lírico a exigente temperança de uma vocação analítica. Com isto, uma nostálgica e desencantada visão do amor, do mundo e dos homens que, no entanto, não excluía, neste citadino de raíz e hábitos, uma instintiva intelecção, anímica e sensual, da natureza, da terra e do mar. Toda a sua poesia assinala, assim, na sua geração e para além dela, certas formas criadoras de contradição vital que nela encontraram uma voz muito original e pura.

(Enciclopédia Luso-Brasileira da Cultura, 20 vols., secretariado por MAGALHÃES, António Pereira Dias; OLIVEIRA, Manuel Alves, 1ª ed., Lisboa, editorial Verbo, vol.15, 1973, pp.1506-1507)

[ CITI ]