Considerado um dos melhores poetas portugueses contemporâneos, António Víctor Ramos Rosa, tem recebido inúmeros prémios e já viu o seu nome apontado como candidato ao Prémio Nobel da Literatura.

A aventura das palavras que é a sua poesia não deixa indiferentes os que a lêem; o poeta figura em inúmeras antologias estrangeiras, nomeadamente na Europa e América-Latina. Ao longo da sua obra, estão reflectidos desde o subjectivismo inicial ao cultivo puramente objectivo, elementos neo-realistas, surrealistas, neo-clássicos e neo-barrocos.

Nas décadas de 50/60, foi fundador e co-director de algumas revistas, colaborador em diversas publicações portuguesas, bem como em publicações francesas, espanholas e brasileiras. Organizou e prefaciou várias antologias. Foi tradutor de algumas obras e publicou vários artigos em diversos jornais e revistas, revelando-se também como ensaísta.

Ler e partilhar a poesia de António Ramos Rosa é entrar numa viagem grátis pelo mundo perfeito da fantasia que é o da realidade.

Bibliografia

Bibliografia Consultada

Autoria: Patrícia Valinho

(1924 - )

[ CITI ]