Mundivivência e Mundivivência

Jorge Amado trilha o seu próprio caminho de criação fundamentado na experiência pessoal e na experiência de sua gente. De um lado, estão os romances urbanos, centrados em Salvador, que revelam a difícil vida de tipos populares como os garotos de rua, as prostitutas, os malandros e os jogadores – entre o desejo irrealizado de felicidade e a busca eterna de heróis.

De outro, estão os romances do Ciclo do Cacau, imaginados em grandes fazendas cacaueiras, onde as inúmeras tentativas de movimentos de revolta são sempre malogradas entre os trabalhadores passivos e os coronéis corruptos. O que há em comum entre os dois núcleos é a ligação sempre conflitante entre a cidade e o interior e, tudo o que advém dessa ligação: a concentração de terra; os baixos salários; as péssimas condições de vida e o labor dos trabalhadores rurais.

Os primeiros refletem valores e princípios pautados por uma moral flexível, adaptável às várias situações cotidianas. Sem ser benevolente, Jorge Amado revela o lado pulsional de tipos humanos excluídos pela sociedade, através de uma sensibilidade artística que provém de suas andanças diárias pelos prostíbulos, becos, terreiros e vielas de Salvador. É forte no romance urbano a influência positiva de Máximo Gorki que lhe ensinou o amor aos vagabundos e aos despossuídos e de Charles Dickens para quem não há homem completamente ruim.

"Nos romances de Dickens, quando parece que o sujeito é o pior do mundo, brilha uma luz."

Os segundos expressam a dicotomia entre a ética perseverante e teleológica dos trabalhadores rurais, sempre à espera da reforma agrária e de melhores possibilidades de sobrevivência, e a geralmente absoluta anomia ética dos coronéis e de suas famílias. Nestes romances, o escritor aprofunda sua crítica social sem cair no radicalismo das posições arbitrárias. Pelo contrário, ao produzir a crítica, a intenção de Jorge Amado é promover a reflexão dialética, cujo pressuposto é tornar possível o lado de sombra e o lado de sol que existe em cada caráter, em cada homem conforme o contexto em que aparecem.

[ CITI ]