Benguela

Por volta de 1601 desembarcaram os primeiros portugueses, nesta província litoral de Angola. Pouco tempo depois, Manuel Cerveira Pereira, funda S. Filipe de Benguela que passaria a ser o ponto de partida para o interior. Atraídos inicialmente pelo cobre, os colonos rapidamente se decepcionaram com a sua má qualidade tornando-se Benguela um centro essencialmente comercial.. Contribuíram para isso a produção de peixe seco e sal que se permutava com produtos do planalto, cereais, cera, borracha e marfim, rícino, mandioca, gado e sisal.. Benguela tornou-se o segundo centro comercial mais importante do país, depois de Luanda; era o ponto de partida e chegada das caravanas de permuta. Rapidamente se formaram à sua volta centros de população. Com a construção do caminho de ferro, tornou-se o motor do desenvolvimento da região centro sul do país.

 

A queda internacional da cotação do sisal, muda o rumo económico de Benguela. A pesca torna-se a actividade central. A costa de Benguela era uma verdadeira mina e de Portugal chegaram os homens do mar. Os lucros eram grandes e a cidade crescia. Em 1948 entra em vigor o plano de urbanização da cidade.

A pesca levou, naturalmente, ao desenvolvimento, ainda que tardio, da indústria piscatória.

É um dos mais fortes centros culturais angolanos, não só por ser berço de uma certa intelectualidade angolana mas também porque os benguelenses são em si acérrimos defensores do seu espaço. É tida como uma das províncias mais mestiças de Angola, quer do ponto de vista racial como do cultural.

A cidade de Benguela é também conhecida pela cidade das Acácias Rubras, pelo números de acácias vermelhas que se encontram espalhadas por toda a cidade. E são famosas as suas praias das quais citamos apenas as baías Azul e Farta.

[ CITI ]