O Desejo da Kianda

Alguns especialistas consideram-no uma obra literariamente mais pobre. Paradoxalmente outros, consideram-no o retorno ao estilo de Pepetela sobretudo pelo regresso a um simbolismo forte, que se anunciou no seu primeiro trabalho, Muana Puó.

O Desejo da Kianda será um livro datado como o Cão e os Calús. E é uma obra de desmoronamento. Desmoronamento físico da cidade, onde os próprios prédios vão desaparecendo, e o desmoronamento moral, a corrupção, a forma como as pessoas vão sendo devoradas pelo processo. A força do "fim", do perder de valores tanto das sociedades tradicionais como da sociedade urbana. Pepetela reflecte sobre o desaparecer da solidariedade, da incorruptibilidade, a que leva o descalabro social, e esta mensagem é tão grande que a obra sugere mais o explodir do desencanto interior do que uma intenção crítica.

"Eu tenho esperança nas pessoas. Nos sistemas não, mas nas pessoas sim. As pessoas são solidárias...É o que resta no fim. Eu acho que a obra aponta ainda um caminho a seguir, apela a uma nova revolução, embora agora em termos diferentes." - Pepetela.

[ CITI ]