Lubango

 

Data de 1627 o primeiro contacto europeu com as terras do planalto angolano. Os primeiros sinais de povoamento europeu são dos boers, por volta de 1880. Pouco depois surgiram os madeirenses que em Janeiro de 1885 fundaram a colónia de Sá da Bandeira. A dois de Setembro de 1901, Sá da Bandeira foi elevada à categoria de vila e tornou-se a sede capital da província da Huíla. Só é cidade a 31 de Maio de 1923, quando o caminho de ferro, depois de vencer o deserto e a serra, atingiu finalmente o planalto.

A agricultura foi o primeiro objectivo de Sá da Bandeira. sendo o trigo a maior produção. No entanto, o gado tornou-se rapidamente a maior riqueza da região. O boi é ainda hoje um símbolo de riqueza. Quando os transportes passaram a ser mecânicos e as estradas boas vias de acesso, fixou-se o comércio e rapidamente também a indústria. Assumiram a liderança os curtumes e as moagens. A metalurgia, o calçado, a banha, a salsicharia, as cerâmicas, as madeiras e os refrigerantes, seguiram-se em importância.

João António da Aguiar realizou o plano de urbanização da cidade, uma das mais belas de Angola. Para além do Lubango, apreciadores apontam a Huíla como a mais bela região de Angola, contendo de facto as mais cantadas paisagens de Angola, como a serra da Leba, os rápidos da Tundavala ou a Nossa senhora do Monte.

A forte presença da colonização faz com que ainda hoje se diga que o Lubango é a província mais " branca" de Angola. É de referir que as mais fortes presenças de colonização acontecem normanmente no litoral tornando-se a Huíla uma excepção. Encontram-se na Huíla grupos de origem portuguesa mantendo as suas tradições e uma pronúncia bem marcada.

O Lubango foi também uma das primeiras cidades do interior a possuir Liceu, não só o Liceu Salvador Correia mas também o Instituto Agrícola do Tchivinguiro (Escola de Agronomia).

[ CITI ]