Críticas

"Deveria perguntar-se, sim, em que lugar do tempo fica este ano de 1993. Ou talvez não seja um ano mas apenas uma data que nos projecta dentro de nós, dos nossos medos ancestrais e obscuros, obrigando-nos a enfrentar o dolorosos nascimento da palavra."

Expresso, 12 Dezembro 1987

 

"São páginas admiráveis, de um ser e renascer da vida, abordagens de um outro real que à ciência não escapa e os poetas vislumbram e vivem - estruturas da imaginação que são outras tantas pesquisas de questões de saber."

O Diário, 26 Dezembro, 1987

 

"Por detrás da alegoria poderemos descortinar uma pedagogia política que se traduz na denúncia das formas possíveis de opressão (das camufladas às mais evidentes) e no incentivo à resistência inteligente."

Diário de Lisboa, 28 Janeiro 1988

[ CITI ]