Prémio do jornal "The Independent", 1993

"É maravilhoso poder-se atribuir um prémio a um livro como O Ano da Morte de Ricardo Reis, que consegue ser tenso, divertido extremamente sério. Até há muito pouco tempo, os britânicos não conseguiam reconhecer grandes romances estrangeiros, e que este prémio é uma espécie de 'Booker' para o resto do mundo".

Crítico do The Independent.

"A descrição contida mas viva de um homem que se passeia pelas ruas de Lisboa."

Jornalista do The Independent

"O Ano da Morte de Ricardo Reis é um livro divertido, importante e ameaçador."

Juiz responsável pela decisão.

"A recente literatura portuguesa começa já a ser bem recebida na Europa Continental, mas a Inglaterra sempre foi uma espécie de fortaleza inacessível. Se, com este livro começar a ter um certo grau de reconhecimento, claro que fico muito feliz."

Declaração de Saramago ao Diário de Notícias, 30 de Julho, 1993

"Num país tão fechado como se diz que é a Inglaterra, criar um prémio destes, simultaneamente para um autor e um tradutor, é o ovo de Colombo de que ninguém ainda se tinha lembrado."

PACHECO, Fernando Assis, "O ano do barman que lia Saramago" in Visão, Lisboa, 5 de Agosto 1993, pág.89.

[ CITI ]