Sectores da Ala Liberal

Os sectores da ala liberal não se mostravam capazes de formar um grupo gregário, com uma estrutura organizativa que lhes permitisse desencadear qualquer acção com poder suficiente para abalar a ordem fascista.

O seu campo de acção estava confinado a manifestações no semanário Expresso, na SEDES, uma organização cívica e outros órgãos de imprensa como o diário República ou a revista mensal Seara Nova.

[ CITI ]