Teatro

"Acordada ou dormindo, o meu sonho constante era o teatro. Absorvia-me todos os pensamentos. Das minhas pupilas não se apagava o fulgor das apoteoses, a atitude, o sorriso, a plástica das estrelas."

COSTA, Beatriz, Páginas das Minhas Memórias, In Jornal Cinéfilo, n. 198, primeiro semestre, 4 de Junho 1932, p. 15, s.l.


Chá e Torradas (1923)

Rés Vés (22/06/24)

Fado Corrido (12/08/24)

Tiro ao Alvo (1924)

Piparote; Disparate; Aqui del-rei; 31; De Capote e Lenço; Tim Tim por Tim Tim; O Gato Preto; As Onze Mil Virgens; Rataplan (de 1924 a Junho de 1925)

Ditosa Pátria (07/07/25)

A Monteria (Outubro de 1925), de Janeiro Guerrero

A Canção do Olvido (27/10/25) de José Serrano

Os Gaviões (1925), de José Guerrero

Flor do Tejo (1925), de Campos Monteiro

A Moça de Campanilhas (Janeiro de 1926)

O Pobre Valbuena (Fevereiro de 1926)

Fox Trot (1926)

Malmequer (Julho de 1926)

Olarila (08/08/26)

Revista de Lisboa (Outubro de 1927)

Sete e Meio (1927)

Vê se o cocas na Ilha das Minhocas (1928)

Beijos Repentinos (1928)

Mártir do Calvário (19/03/28)

Água Fresca (22/04/28)

Coração Português (1928)

A Mãe Eva (16/12/28)

Pó de Maio (31/03/29)

Manda Quem Pode (21/06/29)

Reposição da revista Pó de Maio no Brasil, juntamente com as peças Lua de Mel e Meia Noite (19/09/29)

Eva no Paraíso (Novembro de 1929)

Carapinhada (Novembro de 1929)

Mouraria

A Bola (19/04/30)

Pato Marreco (11/12/30)

O Mexilhão (1931)

Pim Pam Pum (1931)

Pirilau

Reposição de Chá da Parreira

Desculpa, Ó Caetano

O Canto da Cigarra (1931)

A Feira da Alegria (1933)

Fogo de Vistas (1933)

Lua Cheia (1934)

Sto. António (1935)

A Garota da Sorte (1936)

Arre Burro! (1936)

Água Vai (1937)

O Liró (1937)

Há Festa na Mouraria (1937)

Sempre em Pé (1938)

Ó meu Rico S. João (1938)

É Real (1939)

Ela aí está (1949)

O Reboliço (1956)

Toca a Música (1957)

Com Jeito Vai (1958)

Champagne Saloio (1959)

Está Bonita a Brincadeira (1960)

[ CITI ]