Alfredo Pedro Guisado (1891-1975)

Poeta português de ascendência galega, nasceu em Lisboa a 30 de Outubro de 1891. Formou-se em 1921 na Faculdade de Direito de Lisboa e em 1922 entrou para a Associação dos Arqueólogos Portugueses. Foi militante do Partido Republicano Português, colaborou no Debate e foi sub-director do jornal República, o órgão da Oposição a Salazar.

Alfredo Pedro Guisado, também escreveu poesia usando o pseudónimo de Pedro Meneses. Foi um dos colaboradores da revista Orpheu, fazendo parte do seu primeiro núcleo e colaborou no primeiro número com uma série de Treze Sonetos. Na verdade, a essa data já era autor de um volume de versos intitulado Rimas da Noite e da Tristeza, aparecido em 1913. Nada fazia prever, efectivamente, que o autor dessas rimas, de sentido anedótico e ingénua concepção, viesse a adoptar, dentro de pouco, um estilo perfeitamente antagónico do que caracterizou os versos da sua estreia.

Ainda sob o pseudónimo de Pedro de Meneses, publicará As Treze Baladas das Mãos Frias (1916), Mais Alto (1917), Ânfora (1918), A Lenda do Rei Boneco e os versos galegos Xente de Aldea (1912).

No entanto Pedro de Meneses, apesar de se assemelhar a Fernando Pessoa, na tentativa de «duplicação da personalidade», seguia de perto a imagética e o estilo Sá Carneiro, adoptando-lhe, inclusivamente, o vocabulário, as imagens, os giros estilísticos, a misteriosa e secreta maiusculação das palavras chaves - «Mim», «Forma», etc. -, os verbos intransitivos com complemento e a formação de palavras compostas. «Abranjo-me de mim. Rezo-me em sombra, a arfar» é, por exemplo, um verso da Ânfora, quando podia ser da Dispersão. E esta quadra: «Nossa vida é uma sala /Toda cheia de perigos. /Nós somos quadros antigos /Nas paredes dessa sala.» denota influências claras da estilística de Mário de Sá Carneiro.

Pedro de Meneses exprime, com aplicação, um aspecto metódico do modernismo, e quando, mais tarde, volta a recuperar o seu nome verdadeiro, publicando As Cinco Chagas de Cristo (1927), obra de sentido patriótico, encontramo-lo voltado, de novo, para o velho Saudosismo.

Faleceu em Lisboa, a 02 de Dezembro de 1975.

[ CITI ]