Trindade Coelho

Escritor e doplomata, Henrique Trindade Coelho nasceu em Lisboa em 1885. Formado em Direito pela Universidade de Coimbra, herdou do pai (José Francisco Trindade Coelho) o estímulo para se dedicar às letras. Consagrou-se particularmente ao doutrinarismo político na imprensa. No "Século", que dirigiu até 1926, defendeu a política que conduziu ao 28 de Maio. Em 1927 ingressou na carreira diplomática (ministro junto do Quirinal), passando brevemente pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros (de 27.7 a 16.8.1929) e voltando a ministro, agora junto da Santa Sé. Pertencia às Academias Diplomáticas Internacionais, Latina e Pontifícia Tiberiana, tendo sido diversas vezes condecorado. Morre em 1934.

Publica também obras como "Carvões" (poemas - 1907), "Amores Novos" (1911), "Ferro em Brasa" (política - 1913), "Prosas e versos de Belchior da Nóbrega - 1920).

(Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura, editorial Verbo, Lx., s.d., vol.5, p.836)

[ CITI ]