tit_n_estudos.gif (8524 bytes)

A Crise do Processo de Dominação

Hoje em dia, a tendência é para os grandes impérios do audiovisual, instaurarem um real, tendência esta que é contra-balançada pela afirmação dos novos dispositivos comunicacionais que fazem a sua aparição neste final de século, nomeadamente a Internet, rede reticular de conhecimentos, onde o cruzamento de informações, premitiu revolucionar o modo comunicacional existente desde a invenção da escrita, o fluxo comunicacional unívoco, que passa a bínunivoco e interactivo. Nele o receptor não desempenha simplesmente um papel passivo no processo comunicacional, o utilizador é convidado a participar nesse mesmo processo.

Deste modo a metodologia utilizada pelos mass-media de dominarem uma determinada opinião pública entra em crise. A partir do momento em que as grandes empresas de comunicação não podem controlar as emissões daquilo que é posto no ar, visto que no espaço cibernético não existem patrões, então não podem controlar o modo de pensar dos seus públicos-alvos. O "documento-monumento" de J. Le Goff, o acontecimento mediado segundo os critérios de quem tem o poder, entra em crise. Entra em crise, em detrimento de outros poderes, outros poderes que não se situam no centro de uma rede de influências, mas sim na sua periferia, contrabalançando-se e complementando-se e muitas vezes anulando-se uns aos outros. Verifica-se que a crise dos centros de produção central dão origem a centros de produção local, havendo assim uma maior divisão do conhecimento por um espaço.

Uma tão larga divisão de centros difusores de cultura, num espaço que é virtual pode impôr alguns problemas nomeadamente a nível de construção histórica. Como é que se pode construir uma narrativa histórica de acontecimentos, se todo o acontecimento é ou devia ser importante? Como distinguir qual o acontecimento importante, se é que ele existiu? Uma resposta a este problema seria o cruzamento de informações e acontecimentos, em que uns seria corroborados por outros, em que outros seriam solucionados por outros e assim sucessiva e indefinidamente.