MOTIVAR PARA A APRENDIZAGEM EM CONTEXTO VIRTUAL

RESUMO

A necessidade de fazer este estudo, parte de uma realidade concreta, onde a falta de motivação para aprender condiciona o ensino-aprendizagem. O objectivo é aproveitar o fascínio que as novas tecnologias têm nos adolescentes, nomeadamente a Internet, e explorá-las numa perspectiva pedagógica. O desenvolvimento do presente estudo recorre à plataforma dokeos. Este tipo de recurso permite a continuação da relação entre professores e alunos, existente no sistema presencial, e a aproximação ao mundo exterior da informação.

A operacionalização deste estudo tem como intervenientes sessenta e um alunos e uma professora de uma escola básica, do terceiro ciclo. O recurso ao sistema presencial, em paralelo com o modelo e-learning, tem muitas vantagens em todo o processo, essencialmente no início, onde o apoio do professor se revela fundamental. Existe uma constante necessidade dos alunos se certificarem que o professor está presente, grande parte devido ao seu nível etário e à sua inexperiência de aprendizagem num contexto virtual.

Para a criação do curso "Prendre lê Français", na plataforma, elaboram-se materiais de apoio e de trabalho interactivo e colaborativo, diversificados. Esta variedade pretende alcançar a totalidade dos alunos, motivando-os para uma atitude pró--activa em relação à aprendizagem. Sem cair em exageros, tenta-se potenciar o formato digital, as hipóteses que a Internet oferece e a possibilidade de se estar em rede. O endereço electrónico alarga e solidifica a interactividade entre os intervenientes e cria um clima favorável ao regime tutorial. Esta ferramenta apresenta-se como o recurso seguro para a comunicação entre todos e o apoio 'presente' do professor.

A utilização de questionários permite identificar o tipo de relação entre alunos e o ambiente virtual e conhecer gostos e preferências, em relação à parte prática, as actividades propostas. Motivar para a aprendizagem nem sempre é simples e linear, mesmo que esta se apresente mais atractiva, num mundo virtual, conhecido pelo prazer que oferece e pelo caracter lúdico que transmite.

Para potenciar o sucesso desta finalidade, recorre-se a vários métodos motivacionais já confirmados, o ARCS model, o Wlodkowski's Time Continuum Model of Motivation, o Moshinskie 's Model, e a uma teoria socio-cognitiva de aprendizagem, a Social Cognitive Learning Theory, que assenta no Construtivismo e na Aprendizagem Cooperativa. No entanto, para alguns casos, verifica-se que nenhuma das estratégias protagonizadas por estas teorias e modelos abrange os mais resistentes a qualquer tipo de motivação. É este o ponto de partida deste estudo.

Depois de ultrapassado, o objectivo é manter a motivação de todos durante o estudo. No ensino oficial, público, inclusivo, todos têm a mesma importância e, consequentemente, as mesmas oportunidades de construção do seu conhecimento. É função da escola proporcioná-las, através de um leque tão diversificado quanto possível. No caso das línguas estrangeiras, a aquisição das competências específicas tem como finalidade a construção da competência Aprender a Aprender, que só será possível fazendo, experimentando, pois, «o que ouço, esqueço; o que vejo, recordo; o que faço, compreendo» (Confúcio).

PALAVRAS-CHAVE: Motivação, Aprendizagem, e-Learning, Ambiente virtual.