UM MODELO DE ENSINO A DISTÂNCIA PARA A FORMAÇÃO DOS BOMBEIROS EM PORTUGAL

RESUMO

Este trabalho tem por objectivo identificar um modelo de ensino a distância para a formação dos bombeiros portugueses que permita minimizar os condicionantes que limitam o acesso e frequência das acções de formação, em particular dos bombeiros voluntários. A maioria dos bombeiros em Portugal continua a ser voluntário, acumulando o exercício de uma actividade profissional com a prestação de serviço voluntário nos corpos de bombeiros. A formação exigida aos bombeiros para o desempenho da sua missão, inclusive aos bombeiros que são voluntários, pelo seu extenso e diversificado programa, é dificilmente conciliada com a actividade profissional e a vida pessoal e familiar.

A flexibilidade que distingue o ensino a distância desde a sua origem possibilita uma solução de ensino/aprendizagem, baseada na exploração das potencialidades do ensino online, compatível com os constrangimentos dos bombeiros voluntários.

O b-learning permite minimizar a componente presencial dos programas de formação, reduzindo as deslocações e o tempo de permanência nos centros de formação, ao substituir aulas presenciais por actividades online. As aulas presenciais são reservadas para momentos específicos do programa, em função da natureza dos conteúdos programáticos e das tarefas de aprendizagem, dando resposta à especificidade da formação dos bombeiros, que se reveste de uma forte componente prática.

Para sustentar a aplicabilidade de um modelo de ensino misto à formação dos bombeiros foi realizado um trabalho de investigação, utilizando o questionário como instrumento de recolha de dados, que incidiu sobre uma amostra de 270 bombeiros. O estudo pretendeu caracterizar o acesso e utilização do computador e da Internet, as competências ao nível da literacia digital, as percepções sobre a formação e o ensino a distância e o interesse na formação à distância por parte dos bombeiros.

Apesar da heterogeneidade evidenciada pela amostra, nomeadamente ao nível da idade, das habilitações literárias e da literacia digital, podemos concluir que a maioria dos bombeiros tem facilidade de acesso ao computador e utiliza a Internet, pesquisando, comunicando e interagindo socialmente na Internet. Os bombeiros têm desejo de aprender e de ter acesso a mais formação. Os bombeiros identificaram a modalidade de b-learning como a solução que poderá atenuar as dificuldades diagnosticadas que condicionam o acesso à formação.

Os resultados obtidos permitem concluir que os bombeiros portugueses reúnem as condições necessárias para se constituírem como potenciais destinatários de formação a distância, num modelo de ensino híbrido que combine a formação online com a formação presencial.

PALAVRAS-CHAVE: ensino a distância, auto-aprendizagem, aprendizagem colaborativa, b-learning.